Partilhamos o almoço ?

A cultura da comida tem ganho proporções gigantes nos media nos últimos tempos. Multiplicam-se os programas de culinária e os canais dedicados exclusivamente ao tema. As grelhas de canais por cabo em Portugal contam já com dois, o Food Network e o o 24 Kitchen. Enquanto o primeiro se limita a transmitir programas internacionais, o segundo aposta fortemente na produção de conteúdos nacionais juntando também da cozinha mundial como Jamie Oliver e Anthony Bourdain.

No entanto, este tipo de programas já não são um exclusivo dos canais por assinatura. Os quatro canais abertos também têm vindo a investir em adaptações de formatos já existentes noutros países, como o MasterChef (TVI), ou protagonizados por chefs conhecidos, como o Ingrediente Secreto (RTP) com Henrique Sá Pessoa.

Mas não é só na televisão que se nota esta foco na alimentação. As redes sociais são cada vez mais inundadas com a partilha constante de refeições, restaurantes, regimes alimentares alternativos…

Um estudo recente chamou a atenção para a crescente tendência da food photography nas redes sociais como o Instagram e o Facebook. Conclui-se então que 22% dos participantes gostam de documentar as suas próprias criações culinárias, 25% fazem-no diariamente para diários culinários e 16% fazem-no em ocasiões especiais ou eventos. O mesmo estudo verificou que 9% dos inquiridos tinham descarregado uma app culinária no ultimo ano.

Entre as apps mais descarregadas na App Store da Apple estão a InstaFood PRO (1,99€) que permite aos seus utilizadores partilhar em tempo real, directamente para as redes sociais, aquilo que se está a comer, onde e quando. A Zomato é outra das apps no top (gratuita). Esta “rede social” possibilita a consulta de restaurantes na área de Lisboa e do Porto, fazer check-in, avaliar, pontuar e partilhar fotografias.

food-social-media

Outro movimento em ascensão é o termo “food porn”, utilizado frequentemente nas redes sociais para descrever refeições irresistíveis. Segundo um outro estudo, de 2013, 90 novas fotos com a hashtag #foodporn são colocadas no Instagram a cada minuto.

O número de food blogs existentes actualmente é praticamente impossível de quantificar. Desde receitas a dietas, todos têm algo a dizer neste mundo da culinária. A maioria destes blogs não se limita, hoje em dia, à partilha de receitas. Para além de dar a conhecer as suas aventuras gastronómicas, os bloggers utilizam estes espaços como um diário online.

O século XXI está a ser marcado pela partilha incessante do nosso dia a dia, e a comida não foge à regra. Cada dia surge um novo blog culinário, um novo programa para cozinheiros amadores, uma aplicação para embelezar as fotos dos nossos pratos, uma nova guru das dietas e do exercício. Tudo isto leva a uma saturação desta área que torna praticamente impossível criar algo novo e que se destaque daquilo que já existe. Eventualmente, esta febre gastronómica irá passar e outra virá substitui-la. Até lá, continuamos a não nos importar que a comida fique fria só para conseguirmos tirar a foto perfeita para o Instagram.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s